30.3.11

Em Julho do anos passado postei aqui no blog os meus problemas inconstantes de intestinos e na altura relevei por pensar que poderia ser realmente por uma simples solidariedade com os problemas que a minha mãe passava.

 

Porém, as coisas não foram bem assim.

 

A minha médica também não lhe deu grande importância, pois pensou que seria um situação funcional e breve. Depois de fazer um primeiro exame (fibrosigmoidoscopia) que deu resultados normais, a médica ponderou em mandar-me fazer a colonoscopia, pois as minhas queixas continuavam. Porém, teria que fazer o exame com anestesia, o que numa clínica ficaria muito cara, pois não é abrangida pelo Sistema Nacional de Saúde (sou isenta por ser desempregada, mas isso só engloba como é evidente o que está coberto pelo SNS). Então, acabou por me mandar para o hospital. O certo é que por não gostar de hospitais, até foi positivo ter-me mandado para a especialidade. Em Fevereiro, descobri que tinha uma fissura bem infeccionada lá no dito cujo anus. 

Questão? Devia-se a uma conjectura de factores internos ou simplesmente por ter passado por uma prolongada diarreia? Bem, tudo indica, para minha tristeza, para a Doença de Crohn.

 

Entretanto, já fiz análises bem completas ao sangue, já fiz duas ressonâncias magnéticas (RM) e no dia 11 de Abril vou fazer a colonoscopia e vou repetir a RM de uma forma mais completa.

 

Bem, ainda não tinha, acho eu, escrito aqui, mas a verdade é que já tive a minha dose de problemas de saúde desde que nasci. Fui operada aos dois anos de vida ao coração (tive uma CIV, não sei explicar muito bem o que é) e sou seguida todos os anos em Cardiologia, por causa disto e por causa do sopro que tenho. Entretanto, aos 18/19 anos descobri também que tinha rinite alérgica, que me fez detestar a minha adorável Primavera. Agora, vem a doença de Crohn.

 

Bem, mas a minha mãe costuma dizer que se não morri na altura que era bebé (tive doenças infantis quase ao mesmo tempo e várias pneumonias ainda antes de ser operada), ainda vou durar muito tempo.

 

Não perder a esperança é o meu lema, mas acima de tudo, não me vou deixar ir abaixo por causa disto.

 

Para já, agradeço o apoio do meu marido, dos meus pais e dos amigos. Obrigado!

 

link do postescrito por anid, às 14:54  cusquices (2) opina à-vontade

20.7.10

Nos últimos tempos, a minha mãe tem-se queixado muito do estômago e dos intestinos, tendo-lhe sido diagnosticada - ainda que aos olhos dos médicos como algo normal para a idade - uma gastroenterite crónica (por enquanto foi só isto). Como é óbvio, as estes dois órgãos estão-lhes associados os diversos problemas que temos com rara frequência.

 

Agora a pergunta é: nos últimos tempos tenho tido umas irregularidades nos meus intestinos, ora estou presa ou parece que estou de diarreia. Terei mesmo dores ou estou simplesmente a ser solidária com a minha mãe?

 

Na quinta-feira vou à médica e talvez ela consiga dar-me a resposta... Mas que preocupa, preocupa!

link do postescrito por anid, às 20:06  opina à-vontade

13.7.09

 

A minha mãe tem um amigo de longa data, que acho que a própria já perdeu a conta às décadas que o conhece... Foram amigos e colegas de trabalho.

Há quase dois anos, o amigo dela, o J., reformou-se e a minha mãe seguiu-lhe o exemplo um ano depois.

Porém, as suas vidas acabaram por seguir rumos diferentes.

Hoje a minha mãe é uma mulher ainda mais feliz, aproveitando o que a vida ainda lhe tem para oferecer, passeando sozinha, passeando com as amigas, rindo e dando grandes gargalhadas, arranjando novos amigos.

O J. teve uma notícia muito má pouco depois de se reformar. Tinha cancro no estômago. No ano passado, ele foi operado e tem sido sujeito a quimioterapia, segundo soube.

A minha mãe já não o via há quase meio ano e eu já não o via há mais. Foi um choque ver um homem cheio de vida, que me picava sempre que me via, que brincava comigo, quase sem forças para dar um passo em frente, sem cabelo e sem sobrancelhas. Um homem que outrora fora minimamente elegante, agora com uma barriga enorme, potenciada uma infecção no fígado, devido à operação que fez anteriormente e que tem que a aguentar, porque não pode tão cedo voltar a ser operado...

 

Sinceramente, custou-me a reconhecê-lo e inicialmente pensei que fosse simplesmente um doente que a minha mãe tivesse conhecido enquanto trabalhou no hospital. Mas depois de perto vi bem que era o J. O meu próprio estômago deu voltas, ficou com vários nós, perdendo a sede e a fome, revoltada, pensando porque é que isto tem que acontecer.

 

A nós, amigos de pessoas doentes, podemos apenas dar uma palavra reconfortante, mesmo sabendo que, por vezes, é insignificante, pois não chega...

 

Estou triste, muito triste mesmo...

 

sinto-me:
link do postescrito por anid, às 18:47  opina à-vontade

3.5.09

Todos temos de ter um dia e as Mães acima de tudo merecem este destaque, por serem as pessoas que mais força têm em todos os momentos.

 

Não nos podemos, contudo, esquecer, que elas são-no a partir do momento em que descobrem que estão grávidas até ao resto das suas vidas.

 

É uma relação para toda a vida!

 

 

link do postescrito por anid, às 15:26  opina à-vontade

23.3.09

Este fim-de-semana a minha prima da aldeia, mais o marido, mais os meus tios vieram à cidade!

Mas não correu tudo bem, pelo menos para os meus lados...

Fiquei excitadíssima por saber da visita e como tal telefonei por duas vezes à minha mãe durante a tarde se já sabia alguma coisa. Entretanto, a minha prima telefonou-me a dizer que não conseguia falar com os meus pais e blá, blá e eu perguntei-lhe se ela já estava a chegar e gozou-me a dizer que ainda nem sequer sabia se vinha... Começou aqui a primeira irritação.

 

 

sinto-me:
link do postescrito por anid, às 13:56  opina à-vontade

9.2.09

... quando vem almoçar em casa, a pressão é tanta que quanto mais queremos fazer bem, pior nos calha!

 

O arroz ficou mal cozido...

 

link do postescrito por anid, às 17:27  opina à-vontade

16.11.08

... ir almoçar a casa dos pais, por norma.

 

Mas qual é o meu espanto quando recebo um telefonema da minha 'Maria' a dizer que repentinamente tinham decidido ir de excursão até Bragança com um casal de amigos e que portanto não iam estar em casa. No entanto, se eu quisesse deixava-me o almoço pronto para eu ir lá na mesma...

 

Não é uma querida a minha mamã?

link do postescrito por anid, às 15:23  opina à-vontade


pesquisa
 
mais sobre mim
Maio 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Leitura em curso
Neste momento não leio nada, apenas escrevo...
comentários recentes
PROGRAMA DE AFILIADOS!Você está a procura de um re...
aqui no Brasil a gente fala muito mal o nosso idio...
Bom post!Eu Acho exactamente o mesmo, mas também a...
Bom post!Eu Acho exactamente o mesmo, mas também a...
por acaso tambem andei muito a procura desta music...
Posts mais comentados
subscrever feeds
blogs SAPO